Doenças no ombro e cotovelo: entenda as causas, sintomas e tratamentos

É muito comum encontrar com pessoas que já tiveram alguma patologia no ombro e cotovelo. Isso porque essa é uma região delicada, que necessita de muita atenção e cuidado.

O ombro é a articulação com maior amplitude de movimento do corpo, ao mesmo tempo em que é a articulação mais instável. Sendo assim, tem maior predisposição a lesões de suas estruturas.

Principais doenças do ombro e cotovelo

Abaixo listamos as principais doenças que acometem o ombro e cotovelo. Veja quais são elas.

Síndrome do manguito rotador

A síndrome do manguito rotador ou síndrome do impacto do ombro, ocorre quando há uma lesão nas estruturas que ajudam a estabilizar esta região.

Os principais sintomas dessa síndrome são: dor no ombro, dificuldade ou fraqueza para levantar o braço, inchaço e dificuldade de colocar o braço atrás do corpo, para vestir-se ou pentear os cabelos.

As lesões nesta região são mais comuns em atletas ou pessoas que trabalham carregando peso com os braços e costumam ocorrer devido a uma inflamação causada pelo desgaste, irritação ou por um impacto devido ao uso excessivo da articulação.

O tratamento da síndrome do manguito rotador consiste em repouso do ombro, aplicação de gelo e realização de fisioterapia.

O ortopedista também poderá indicar o uso de medicamentos analgésicos ou anti-inflamatórios. Em alguns casos de dor persistente, pode ser necessária a realização de injeções de corticóides dentro da articulação. Quando a dor não consegue ser aliviada, pode ser indicada a realização de uma cirurgia.

Tendinite calcárea

A tendinite calcárea é um tipo de tendinite de ombro em que há deposição de cálcio (calcificação) no tendão. 

Não se conhece ao certo qual o mecanismo que gera o depósito de cálcio dentro do tendão, porém sabe-se que pode ocorrer uma tendinite prévia, associada a uma diminuição provisória da vascularização do tendão.

Apesar de ocorrer lentamente, o depósito de cálcio pode gerar dor leve ou desconforto, semelhante à uma tendinite leve. Contudo, subitamente pode ocorrer uma dor muito intensa. 

O diagnóstico é realizado através de radiografias com o ombro em diferentes rotações (interna e externa), mas apenas quando o depósito de cálcio já está formado. Também pode ser necessária a ultrasonografia e a ressonância magnética para afastar outras doenças.

O tratamento para a tendinite calcárea varia de acordo com os sintomas e com a fase da calcificação. Normalmente são recomendados analgésicos e anti-inflamatórios.

Também existem opções de infiltrações no ombro, ou seja, injeções com anestésicos locais e corticóide, permitindo alívio mais imediato da dor. Um procedimento de lavagem da região pode ser indicado pelo médico, com bons resultados no alívio da dor. 

Em alguns casos crônicos, quando não há reabsorção e os sintomas são persistentes, o tratamento cirúrgico pode ser necessário para realizar a retirada da calcificação. Essa cirurgia pode ser realizada através da artroscopia. 

Capsulite adesiva

A capsulite adesiva ou congelamento do ombro é uma síndrome caracterizada por dor e rigidez articular fibrosa de origem capsular. Ela acomete principalmente mulheres, na faixa etária de 40 a 60 anos, e pode estar associada a outras doenças, como o diabetes.

A doença pode se dividir em:

  • Primária ou idiopática: quando não se identifica causa aparente ou associação com outras doenças;
  • Secundária: quando se identifica uma possível causa ou há associação com outras doenças. Sendo assim, ela pode ser intrínseca (quando é desencadeada por lesão no próprio ombro);  extrínseca (quando há associação com alterações de estruturas distantes do ombro, como lesões do membro superior, doenças e lesões do sistema nervoso central e periférico, lesões da coluna cervical com ou sem radiculopatia, doenças do coração e do pulmão; e sistêmica(quando há associação com doenças como diabetes e doenças da tireoide).

Os principais sintomas da capsulite adesiva são: dor constante, limitação progressiva da mobilidade articular, sudorese palmar e axilar e enrijecimento ou congelamento do ombro.

O tratamento envolve alongamento e, às vezes, injeção de corticosteróides e medicamentos anestésicos na cápsula articular. Existem casos em que é necessária uma cirurgia para soltar a cápsula articular.

Bursite

A bursite é caracterizada pela ocorrência de dor nos ombros, principalmente durante a realização de certos movimentos como abdução, rotação externa e elevação do membro superior.

As causas da bursite subacromial são: atividade excessiva; hiperabdução prolongada; ruptura do músculo supra-espinhoso, infra-espinhoso ou porção longa do bíceps; luxação acromioclavicular; fratura do troquiter; irritação por osteófitos; aderência; paciente crônico no leito; e alterações e inflamações no geral.

O diagnóstico da bursite é realizado através de avaliação clínica e exames de imagem como ultrassonografia e ressonância magnética computadorizada.

O tratamento inclui repouso, gelo e indicação de analgésicos. Nesse caso, a cirurgia raramente é necessária.

Epicondilite medial e lateral

A epicondilite lateral, também conhecida como cotovelo do tenista, é uma inflamação que ocorre na origem dos tendões extensores radiais do punho. A epicondilite medial ou cotovelo do golfista é uma inflamação que ocorre na origem dos tendões flexores do punho.

A inflamação costuma ocorrer quando os tendões são muito solicitados e os sintomas são: dor para levantar e abaixar o punho, para digitar, perda de força, dor que piora com o decorrer das atividades durante o dia e dor noturna. 

Existem dois tipos de tratamento, o conservador (com anti-inflamatórios, fisioterapia, alongamento e fortalecimento muscular) e o cirúrgico, normalmente destinada aos pacientes com quadros mais avançados e graves.

Artigo escrito por Dr. Daniel Daniachi

Médico ortopedista especialista em quadril

CRM 117036

Currículo lattes