Cirurgia do Quadril

A especialidade é genericamente conhecida como quadril e trata dos complexos problemas envolvendo a região da pelve (bacia), além da articulação do quadril propriamente dita, que é o ponto de encontro entre a cabeça femoral e a bacia. 

A bacia é responsável pela transmissão do peso do corpo e sua distribuição aos membros inferiores, sítio frequente de inflamações, dores, tendinites e desbalanços musculares, que comprometem a qualidade de vida, tanto de pacientes sedentários, quanto de atletas amadores ou profissionais.

A complicada anatomia caracterizada por uma íntima relação com a coluna lombar, além de órgãos pélvicos e feixes neurovasculares, frequentemente, causa dúvida diagnóstica e erros de tratamento.

As dores no quadril, como em toda articulação (encontro entre dois ossos), podem ser de origem intra ou extra-articular. As doenças mais prevalentes intra-articulares são: impacto femoroacetabular, artrose e necrose avascular da cabeça femoral. As tendinites, também conhecidas como bursites são as principais causas fora da articulação.

Quando a cirurgia do quadril é indicada?

A Artroplastia do Quadril é a cirurgia de substituição da articulação por um modelo mecânico chamado prótese de quadril. Ela reproduz a função articular muito semelhante ao modelo biológico original.

Sabemos que o quadril é uma articulação formada pelo encontro da cabeça do fêmur (osso da coxa) e o acetábulo (parte da bacia), estabilizados por um conjunto reforçado de ligamentos. 

Dessa maneira, a Artroplastia do Quadril é indicada quando o paciente possui algum tipo de doença no quadril que resulte na incapacidade da articulação de realizar as atividades naturais do dia-a-dia. 

A principal vantagem da cirurgia é o alívio da dor e a recuperação das funções da articulação, o que faz com que o paciente volte a realizar as atividades diárias de forma indolor.

Existem diversos fatores que levam uma pessoa a sentir dor no quadril. Algumas delas são:

  • Osteoartrite: tipo de artrite que causa desgaste da cartilagem que amortece os ossos do quadril e está relacionado à idade. Ela também pode ser causada por pequenas irregularidades no desenvolvimento do quadril na infância.
  • Artrite reumatoide: doença autoimune que causa inflamação e espessamento da membrana sinovial, que pode lesionar a cartilagem, causando dores e rigidez.
  • Artrite pós-traumática: lesão da cartilagem que pode surgir na sequência de uma lesão ou fratura grave do quadril, causando dores e rigidez no quadril com o passar do tempo.
  • Necrose avascular: limitação da irrigação sanguínea da cabeça do fêmur causada por uma lesão no quadril, como um deslocamento ou uma fratura.

Uma vez que o médico e o paciente optem pela cirurgia do quadril, o especialista pode solicitar diversos exames físicos antes do procedimento cirúrgico, para confirmar que as condições de saúde permitem a realização da cirurgia.

Antes e depois da cirurgia do quadril

Agora vamos falar um pouco mais sobre tudo o que envolve o antes e depois da cirurgia de quadril. Você sabe conhece os cuidados que devem ser tomados tanto pelos pacientes quanto pelos médicos? 

Antes da cirurgia

Antes da cirurgia é indicado ao paciente realizar exames de sangue, radiografia de tórax, eletrocardiograma e amostras de urina. Isso porque muitos pacientes idosos podem ter infecções do trato urinário não diagnosticadas que podem levar a uma infecção do quadril após a cirurgia.

O tipo de anestesia pode variar entre anestesia geral com tubo de respiração ou bloqueios regionais. Em algumas situações, em que apenas alguns parafusos são planejados para fixação, a anestesia local com sedação pesada pode ser considerada. 

Durante a cirurgia e pelas 24 horas seguintes, todos os pacientes recebem antibióticos.

Depois da cirurgia

Após a artroplastia de quadril, os pacientes podem ter alta do hospital para retornarem às suas casas ou por buscar uma estadia em uma unidade de reabilitação. Em todos os casos, é necessário auxílio e atenção para que os pacientes se recuperem adequadamente.

A dor após a cirurgia de quadril é uma parte natural do processo de cicatrização e então o médico e a equipe de enfermagem atuam para reduzir a dor. Os medicamentos são prescritos para alívio da dor a curto prazo.

É possível que alguns pacientes sejam encorajados a sair da cama no dia seguinte à cirurgia com a assistência de um fisioterapeuta, que irá trabalhar para ajudar na recuperação da força e da capacidade de andar. Esse processo pode levar até três meses.

Em alguns casos, uma transfusão de sangue pode ser necessária após a cirurgia. Entretanto, antibióticos de longo prazo geralmente não são necessários. A maioria dos pacientes pode ainda receber uma dose de medicamentos para diluir o sangue, a fim de reduzir as chances de desenvolver coágulos sanguíneos.

E também é importante ressaltar que, após a cirurgia de quadril, a maioria dos pacientes recuperará a mobilidade e independência que tinham antes da lesão.

Alguns cuidados importantes após a cirurgia de quadril, para evitar complicações como luxação da prótese e fratura óssea são:

  • Deitar de barriga para cima e com as pernas abertas;
  • Não cruzar as pernas para evitar o deslocamento da prótese;
  • Não sentar em locais muito baixos;
  • Evitar girar a perna para dentro ou para fora;
  • Fazer fisioterapia;
  • Realizar atividades somente sob orientação do médico ou fisioterapeuta.

Quais as principais doenças do quadril?

O paciente deve procurar a orientação de um ortopedista especialista em quadril nos seguintes casos: 

  • Artrite no quadril: inflamação das articulações locais. O tipo mais comum é a artrite inflamatória, que é quando há alteração no sistema imunológico do paciente, envolvendo dor e inchaço na região.
  • Artrose de quadril: também é conhecida como osteoartrite, é degeneração da cartilagem que protege os ossos. Esse dano também se estende aos ligamentos e articulações causando dor, inchaço e dificuldade de movimento.
  • Fraturas por estresse do quadril: ela ocorre no colo do fêmur quando se gera um estresse no osso. 
  • Fratura no cóccix: ocorre principalmente em casos de queda ou de um impacto muito forte, capazes de causar algum tipo de lesão no local. É comum o paciente sentir muita dor na região, além de ter dificuldade de se movimentar.
  • Luxação do quadril: é um deslocamento dos ossos da articulação da bacia. Elas acontecem em momentos de trauma no local como, por exemplo, em uma queda. Entretanto, o quadro também pode ser congênito, quando a criança já nasce com a luxação ou acaba por adquiri-la (displasia do desenvolvimento do quadril).
  • Tendinite no quadril: inflamação nos tendões da região, capaz de causar quadros dor e inchaço. 
  • Bursite de quadril: inflamação da bursa que fica entre o músculo e o tendão, a fim de evitar um grande impacto entre tendões e ossos. Quando o paciente apresenta este quadro, ele sente dor nas articulações e dificuldades para movimentar o local inflamado.