Quais as doenças do quadril?

A dor no quadril é o principal sintoma de que algo não está bem e ela pode estar relacionada a diversas doenças. 

Sabemos que o quadril é responsável pela sustentação do corpo e pela ligação do osso da coxa (fêmur) à pelve (acetábulo). E esse encaixe da cabeça do fêmur com o osso da pelve precisa ser exato, pois qualquer tipo de deficiência ou má-formação resulta no surgimento de problemas na região, que incluem dores no glúteo, lombar, virilha, joelhos e pernas.

É importante que a causa seja sempre investigada para que o tratamento adequado seja aplicado. Entre as principais doenças do quadril estão:

  • Artrose: doença degenerativa crônica que desgasta a cartilagem, diminuindo o espaço articular, o que faz com que os movimentos fiquem limitados, levando a pessoa a começar a mancar, em grande parte dos casos.
  • Artrite: doença inflamatória crônica e autoimune, que pode atingir várias articulações. Ela gera dor, inchaço e redução do arco de movimento. A principal causa para essa patologia é a genética.
  • Epifisiólise: essa doença está relacionada ao crescimento do fêmur que gera o escorregamento da cabeça do fêmur na pelve. Os sintomas incluem dor na virilha, podendo se estender para a parte de dentro da coxa até o joelho e diminuição da mobilidade do quadril.
  • Displasia do Desenvolvimento do Quadril (DDQ): conhecida como luxação congênita, a DDQ acontece quando o fêmur não está articulado com a pelve, ou seja, há um deslocamento entre a cabeça do osso da coxa e o acetábulo. A doença traz uma diferença perceptível entre os membros, além de causar dor nos joelhos e na coluna lombar.
  • Bursite: é caracterizada pela inflamação da bursa, uma pequena bolsa cheia de líquido que envolve as articulações e funciona como amortecedora entre os ossos, tendões e tecidos musculares. Causa dor ao levantar, caminhar, subir escadas e dirigir.
  • Pubalgia: tendinite dos adutores do quadril ou dos abdominais, sendo que todos os músculos e tendões afetados têm a inserção no osso púbico.
  • Síndrome do impacto femoroacetabular: quando há uma ou mais alterações na forma do quadril, que podem ser do tipo CAME, PINCER ou uma combinação deles (tipo misto). Essas alterações ósseas podem provocar um contato anormal entre o colo femoral, o rebordo acetabular e lábio acetabular, causando danos à cartilagem articular.

Caso note alguns dos sintomas relacionados acima, é importante procurar a ajuda de um ortopedista especialista em quadril. Esse é o caso do Dr. Daniel Daniachi, que atua há mais de 10 anos nessa área e hoje é Membro titular da Sociedade Brasileira de Quadril. Agende agora mesmo uma consulta!